Tabela-co-associações-de-plantas-web.gif

Guia para aproveitamento da água da chuva e águas residuais


Harvesting Rainwater for Landscape Use



Praga / Doença
R
eceita
Aplicação
Caracóis
Borra de café

Míldio
Chá de Urtiga
Colocar 500 g de urtiga fresca ou 100 g seca em 1 litro de água e deixar curtir
por 2 dias. Para aplicação, diluir em 10 litros de água e pulverizar sobre a planta ou no solo.

Combate a pulgões e cochonilhas sem uso de agrotóxicos Diferentes modos de combater, sem uso de pesticidas, os pulgões e cochonilhas que atacam as árvores frutíferas e outras, além das hortaliças.



Muitos insetos e animais de outras ordens que prejudicam as plantas cultivadas constituem as chamadas "pragas das lavouras".
Dentre todas, os pulgões e as cochonilhas são os principais inimigos dos pomares, jardins e hortas, mesmo não sendo os únicos, por muitas razões como a diversidade de forma com que se apresentam, a facilidade com que se reproduzem e a frequência com que atacam as mais diversas plantas.
Segundo a entomologia (ciência que estuda os insetos), os pulgões pertencem à família dos "Aphideos" e as cochonilhas, à família dos "Coccídeos".
Os Aphideos caracterizam-se por um aparelho bucal sugador-picador, pois sugam a seiva das plantas. Apresentam-se sob diversas formas, com asas ou sem asas. Encontram-se em grandes grupos, nos locais da planta que parasitam, geralmente num rebento novo e, em alguns casos, nas raízes.
Os Coccídeos compreendem fêmeas e machos. As fêmeas não têm asas nem pernas e vivem permanentemente no mesmo local. Possuem aparelho bucal sugador-pungitivo, têm o corpo coberto por uma substância cerosa ou resinas, mais ou menos espessas, que determinam diversas formas e tamanhos. Multiplicam-se rapidamente e abundantemente por meio de ovos, que produzem larvas e novas cochonilhas. Os machos têm asas, parecem pequenos mosquitos e são de curta duração.
Receitas caseiras para combater pulgõesfórmulas caseiras à base de sabão, querosene (ou gasolina) e fumo (cigarro)
1) Sabão comum (250 gr) - água (10 litros). Dissolver o sabão em 1/2 litro de água quente, acrescentar o restante de água mexendo bem, deixar arrefecer e aplicar nas partes infestadas de pulgões.
2) Sabão e querosene - à solução acima acrescentar uma a duas colheres de querosene por litro de solução.
3) Sabão e querosene - sabão comum de potássio (1 kg), querosene (5 a 7 litros), água (100 litros). Desmanchar o sabão em 3 litros de água quente e, após, sob forte agitação, despejar lentamente o querosene e a água até completar os 100 litros.
4) Calda de fumo - 20 centímetros de cigarro picado. Deixar de molho em 10 litros de água por 24 horas. Após, coar o produto e pulverizar as plantas. Se necessário, repetir o tratamento após 15 dias. A calda não deve ser guardada, pois estraga, prejudicando as plantas.
5) Solução de fumo e sabão – sabão de potássio comum (200 gr), fumo em corda (200 gr) (podem ser tocos de cigarro), água (10 litros). Dissolver o sabão em água quente, deixar o fumo em maceração dentro de água durante 24 horas ou mais.
Acrescentar o macerado de fumo e completar o volume de água. Aplicar nas plantas atacadas.
6) Calda de fumo e cinzas - desfazer 100 gr de cigarros e colocar numa vasilha com 1 litro de água. Deixar em maceração durante um dia, depois, juntar 100 gr de cinzas de madeira, mais 9 litros de água. Misturar tudo muito bem, passar num coador de peneira fina e pulverizar as plantas.
Repetir o tratamento se necessário. Consumir os repolhos e hortaliças, se for o caso, somente 7 dias após o ultimo tratamento.
Receitas caseiras para combater cochonilhas:

1- Com sabão e querosene: servem as mesmas fórmulas utilizadas contra os pulgões.
2- Com óleo mineral ( utilizados e descartados dos motores de automóveis)
Sabão comum (1 kg), água (2 litros), óleo mineral (4 litros).
Cortar o sabão em bocados pequenos, juntar à água e ao óleo, deixar ferver mexendo bem. Retirar do fogo e continuar a mexer até formar uma pasta homogénea.
Na hora de usar, desmanchar 1 kg desta pasta em 1 litro de água quente e acrescentar água até completar 100 litros. Pulverizar nas fruteiras de folhagem perene a 1% da solução. Nas plantas de folhas caducas, no inverno, usar a concentração de 1,5 a 2%.
Repetir o tratamento se necessário.
Convém lembrar que as plantas cultivadas no clima certo e solo fértil, corrigido na acidez e rico em matéria orgânica, são sadias e assim têm resistência natural às pragas que mais facilmente atacam plantas debilitadas.
Elaborado a partir da obra do Engo. Agro. José Zugno


Macerações


Urtigas para o pulgão.Alho para a lagarta brancaSabão azul para a mosca branca.
-----

Como fazer biopesticidas

Extratos fermentados de fetos e urtigas




Propostas: